A FLORESCENCIA DO MEU ABACATEIRO




Estes temporais que tem assolado meu Estado danificaram meus dois pés de abacateiros manteigas, plantados há mais de vinte anos.
Estão cobertos de botões que, a cada ventania, despencam assim como as folhas que já caíram em grande quantidade.
Tenho receio de que não teremos muitos abacates lá por maio de 2010 e a infinidade de fãs que costumam saboreá-los ficarão frustrados.
Apesar do trato que tenho dado às arvores frutiferas, nos últimos dois anos a produção foi mínima, em razão das ventanias neste morro dos ventos uivantes em que vivo.
Apesar de tudo eles estão lindos e os passarinhos passeiam entre as florzinhas , comendo ou destruindo os insetinhos. Hoje, deparei com muitas abelhas em torno das flores.
Ano passado eram tantas a enxotarem os passarinhos , que acabaram por ficarem de donas das árvores e dos bebedouros.
Mas tenho sido cuidadosa com as sementes das frutas porque elas são de fácil germinação, então passei a jogá-las no final da rua, em plena Reserva Ecológica. No futuro haverá grande quantidade de abacateiros no local para alegria dos pássaros, será o presente que deixarei para eles quando partir ...
O amor por plantas de qualquer espécie, herdei do meu pai que gostava de cultivar, por pequenos que fossem os quintais das casas: flores, verduras, árvores frutíferas ou de sombra... além da profusão de pássaros que os verdes trazem.
Ás vezes quando ando pela rua, a pé, mesmo distante de casa, sou saudada com coral de pássaros que penso terem me reconhecido...
Pode ser ilusão minha, mas tenho intuição de que sejam eles que me acompanham pelas ruas do meu bairro.

Voltar